Vale mantém negociações para expandir mina na Amazônia

Vale está em negociações com autoridades brasileiras sobre a expansão da maior mina de minério de ferro a céu aberto do mundo para atender à crescente demanda chinesa pelo produto de alta qualidade.

A empresa com sede no Rio de Janeiro se reuniu recentemente com reguladores para discutir a expansão de sua mina de US$ 14 bi localizada na floresta amazônica, e que ainda não atingiu a capacidade prevista. No encontro, a Vale mencionou a possibilidade de aumentar a infraestrutura de processamento de minério e a ferrovia pela qual a matéria-prima é transportada para o porto, disse o Ibama em um email.

Enquanto o projeto conhecido como S11D não tem projeção de atingir sua capacidade de 90 milhões de toneladas até 2020, o apetite da China por minério de baixo custo e alta qualidade continua a crescer. A Vale está buscando fortalecer sua posição como líder mundial na produção de minério de melhor qualidade, ao mesmo tempo em que as siderúrgicas chinesas buscam melhorar a eficiência, reduzir emissões e cumprir restrições ambientais mais rigorosas

O plano inicial da Vale era atingir a capacidade máxima da mina e permanecer nesse patamar, mas a demanda pelo minério do S11D pode representar uma oferta irrecusável. Durante uma recente teleconferência sobre balanço, o diretor executivo da Vale Fabio Schvartsman disse que a empresa estava ponderando uma expansão que, se aprovada, teria custos “mínimos” e seria feita “em um período de tempo muito curto”. Schvartsman disse que a Vale poderia permitir que o mercado conhecesse seus planos em dezembro.

A Vale declinou de fornecer comentários adicionais. O Ibama não informou quanto tempo levaria para analisar ou aprovar uma expansão no S11D se a empresa apresentar uma solicitação formal.

Considerado o maior projeto do setor, o S11D iniciou os embarques em 2017 e produziu cerca de 22 milhões de toneladas em seu primeiro ano.

Os preços do minério de maior qualidade, com menos impurezas, subiram acima dos preços de referência e, com o S11D aumentando a produção, quase 80% das vendas da Vale agora são consideradas de produtos premium. A mineradora também está misturando minério de alta qualidade com material de menor qualidade como forma de aumentar a receita.

Processo mais suave

Enquanto o licenciamento para o S11D levou quase uma década, a aprovação de uma expansão deve ser mais rápida, mesmo considerando o processo de licenciamento notoriamente árduo do Brasil.

“A questão é rever o tamanho da expansão e os impactos”, disse Alexandre Sion, especialista em licenciamento de mineração. “Um plano menor seria obviamente mais fácil de se completar.” Os novos projetos é que são muito mais complicados, disse ele.

Fonte: Bloomberg News

Mais em http://informativodosportos.com.br/portal/2018/11/19/vale-mantem-negociacoes-para-expandir-mina-na-amazonia/

Mais...


Leia Também:
Anterior:

Próxima: