Governador irá a Brasília tentar destravar BR-163 e Ferrogrão

O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, irá a Brasília (DF) na próxima semana para tentar destravar as obras da BR-163 e buscar a viabilização da Ferrogrão, visando melhorar a logística e o escoamento da produção do estado

A informação foi dada nesta sexta-feira (15) em Sorriso (393 km de Cuiabá), durante o evento que marcou o encerramento da colheita de soja na safra 2018/2019.

Força-tarefa vai garantir escoamento de grãos pela BR-163

Mendes solicitou pessoalmente o apoio para as obras ao vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, que também esteve presente no evento.

“Nós precisamos muito do apoio do Governo Federal, principalmente na Ferrogrão e no destravamento da BR-163. Na próxima semana, nós estaremos lá com alguns governadores para tentar destravar esse imbróglio, para que não se transforme em mais um projeto que envergonha Mato Grosso e o Brasil”, ressaltou o governador, em seu discurso.

O vice-presidente respaldou a fala do governador e garantiu que empreenderá esforços para garantir investimentos do Governo Federal na infraestrutura e logística de Mato Grosso.

“Temos que resolver o problema da BR-163 e esse problema será resolvido. A Ferrogrão vai sair do papel sim. Nós vamos trabalhar muito para o progresso do nosso país e para o progresso de Mato Grosso, e de Sorriso em particular”, destacou Mourão.

Ferrogrão abre espaço para avanço de 70% na safra de MT

Durante seu discurso, o governador Mauro Mendes recebeu vaias de parte dos produtores presentes no evento, assim como aplausos de outra parte.

As vaias foram em protesto aos ajustes feitos por meio da aprovação do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab), que reajustou as alíquotas sobre a comercialização de commodities em Mato Grosso.

Mendes disse compreender a indignação dos produtores, mas explicou que precisou tomar medidas necessárias para buscar o reestabelecimento do equilíbrio financeiro de Mato Grosso, uma vez que recebeu o Estado com dívidas de restos a pagar na ordem de R$ 3,9 bilhões.

“Respeitosamente eu acolho as vaias que vocês estão fazendo a mim neste momento. Vim aqui com muita tranquilidade para fazer esse diálogo com todos. Eu, como a maioria de vocês, sou um cidadão que veio aqui construir minha história. Assim como uma parte de vocês, que representam milhares de brasileiros, nós também nos indignamos muito com o que acontece no Estado brasileiro e no Estado de Mato Grosso. Eu, se estivesse aí na plateia, talvez estivesse vaiando o governador que aqui estivesse em meu lugar. Porque nós nos indignamos com um Brasil que cobra muito dos cidadãos, e devolve pouco”.

“Em janeiro, o Estado arrecadou R$ 1,3 bilhão e ficamos devendo R$ 168 milhões só em relação às contas de janeiro. Eu estou sendo vaiado porque tomei medidas duras para consertar esse Estado. Governar um Estado não é apenas dizer aquilo que as pessoas querem ouvir. Não vai ser com medidas populistas ou com medidas não muito bem pensadas que vamos recuperar o Estado. Eu não quero ser aplaudido no início. Eu quero entregar um Estado melhor a todos os mato-grossenses”, completou.

As obras

O projeto da Ferrogrão, ferrovia de 933 quilômetros que deve ligar Sinop (MT) ao porto fluvial de Miritituba (PA), prevê a capacidade para transportar cerca de 58 milhões de toneladas.
Além da economia que os produtores teriam com o transporte, a ferrovia facilitaria a logística do escoamento dos grãos e provocaria menos danos às rodovias.

BR-163, principal via de escoamento de MT, não repetiu o caos de 2017

Já a BR-163 é a principal rota de escoamento da safra de grãos do Estado. Possui longos trechos sem a duplicação, fato que dificulta o transporte da produção.

Fonte: 24 Horas News

Data: 15/02/2019



Leia Também:
Anterior:

Próxima: