Após briga política na base do governo, premier italiano adia licitações de trem-bala com a França

Giuseppe Conte formalizou a decisão em carta nesta sexta-feira, 8 de março de 2019, ao consórcio ítalo-francês Telt, formado para realizar a obra

ALEXANDRE PELEGI

Por determinação do primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, as licitações para a construção de uma linha ferroviária de alta velocidade entre Turim, no Piemonte, e Lyon, na França, foram adiadas.

O premier formalizou a decisão em carta nesta sexta-feira, 8 de março de 2019, ao consórcio ítalo-francês Telt.

Segundo Conte, o governo italiano submeterá o projeto a uma “nova análise de custo-benefício”.

A obra do Trem de Alta Velocidade (TAV) entre os dois países se transformou numa batalha política, antagonizando dois partidos que formam a base do governo: o Movimento 5 Estrelas (M5S) e a ultranacionalista Liga.

O governo de forças antissistema e ultranacionalistas na Itália é chefiado pelo professor universitário e advogado Giuseppe Conte. Os líderes do M5S, Luigi Di Maio, e da Liga, Matteo Salvini, dividem a vice-presidência do Conselho dos Ministros.

O M5S quer cancelar o projeto, medida que acabou se transformando numa de suas bandeiras ideológicas mais fortes.

Já a Liga quer a continuidade do projeto do TAV, alegando que já foram iniciadas as escavações nas montanhas.

Na carta enviada ao consórcio formado para conduzir o projeto do TAV, Conte justificou o adiamento: “A análise técnica efetuada por especialistas nomeados pelo ministro da Infraestrutura e dos Transportes [Danilo Toninelli, do M5S] nos impõe a reavaliação da obra, cuja correspondência ao interesse público ainda não foi confirmada”, escreveu Conte.

Na sequência, o primeiro-ministro solicita ao consórcio Telt que se abstenha de qualquer nova ação que acarrete obrigações jurídicas para o Estado italiano.

Convido-lhes a adiar a comunicação dos editais de licitação, a fim de evitar que terceiros possam formular ofertas para a realização da obra, condicionando, por tal caminho, determinações definitivas que meu governo pretende assumir no futuro próximo”, acrescentou.

Ao final da carta, o premier italiano afirma que comunicará o governo da França e a Comissão Europeia, que também financiarão o projeto, sobre sua decisão.

A Telt se preparava para publicar no Diário Oficial da União Europeia os editais para a construção do túnel-base da linha Turim-Lyon, o que daria início à liberação de recursos públicos.

Mesmo assim, o consórcio ítalo-francês afirmou, segundo a agência ANSA, que na próxima segunda-feira, 11 de março, seu conselho de administração autorizará a publicação do convite à apresentação de candidaturas para os lotes franceses da linha.

A Telt pretende desta forma respeitar o prazo de 31 de março para não perder os fundos destinados pela União Europeia para o projeto em 2019, que somam 300 milhões de euros.

A subsecretária do Ministério das Finanças da Itália, Laura Castelli (M5S), garantiu que o adiamento será de pelo menos seis meses. Laura afirmou que a construção só prosseguirá se Paris e Roma “alcançarem um acordo sério”.

Mais em https://diariodotransporte.com.br/2019/03/09/apos-briga-politica-na-base-do-governo-premier-italiano-adia-licitacoes-de-trem-bala-com-a-franca/



Leia Também:
Anterior:

Próxima: