Empresas de ônibus de Curitiba devem oferecer transporte sob demanda por aplicativo

Empresário e presidente de sindicato das viações, Maurício Gulin, vai a Goiânia testar sistema que opera com vans

ADAMO BAZANI/JESSICA MARQUES

Conhecida por muito tempo por ter serviços de ônibus tidos como referência, a cidade de Curitiba está repensando a forma de prestar serviços aos passageiros.

Por ora, na gestão de Rafael Greca, um sistema de metrô pesado está descartado, mas somente os ônibus não têm sido suficientes para fazer com que as pessoas deixem o carro em casa.

Pior, além de não atrair novos passageiros, o sistema de ônibus está perdendo parte dos atuais usuários.

Um dos caminhos estudados pelas viações para reverter o quadro do transporte atual de Curitiba é oferecer serviços por demanda, estilo Uber, mas de forma coletiva.

Exemplos já estão aparecendo no Brasil, como em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, e em Goiânia.

O empresário e presidente do Setransp, entidade que reúne as companhias de ônibus, Maurício Gulin, disse em entrevista ao Diário do Transporte na manhã desta quarta-feira, 13 de março de 2019, que os serviços sob demanda estão entre as prioridades e que na próxima semana, viaja para conhecer o aplicativo de Goiânia, que é operado por viações.

Esse é o carro chefe que estamos pensando agora. Tem o exemplo de Goiânia. Conversei bastante com eles e provavelmente estarei lá para discutir com implantaram e como estão as operações. Tudo o que é bom tem de ser copiado, para aprimorarmos para a realidade de Curitiba. Essa visão de Goiânia nos serve como exemplo, aplicarmos uma solução semelhante, mas para nosso tipo de operação”, disse Maurício Gulin.

Conforme já noticiado pelo Diário do Transporte, o CityBus 2.0, de Goiânia, é um aplicativo que vai permitir que os passageiros chamem uma van com capacidade para até 14 pessoas, para realizar o trajeto que pretendem percorrer em menos tempo e por um valor mais baixo do que seria cobrado em um serviço prestado por automóvel.

Relembre: Goiânia recebe aplicativo para transporte público com tarifa flexível por distância percorrida

SÃO PAULO NÃO VAI PERMITIR:

Enquanto diversos sistemas estudam ou até já implementaram transporte coletivo sob demanda, com a participação das companhias de ônibus, o sistema de São Paulo, o maior da América Latina não vai permitir um modelo semelhante.

Este foi um dos questionamentos ao edital de licitação que visa reorganizar os serviços da cidade.

Em resposta ao questionamento ao edital, a SPTrans – São Paulo Transporte descartou a possibilidade de serviços por demanda como complementares às linhas regulares do sistema.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Jessica Marques, para o Diário do Transporte

Mais em https://diariodotransporte.com.br/2019/03/14/empresas-de-onibus-de-curitiba-devem-oferecer-transporte-sob-demanda-por-aplicativo/



Leia Também:
Anterior:

Próxima: